WRC

Loeb deu uma pequena entrevista para a revista Autosport portuguesa. Na entrevista, ele fala um pouco sobre o rali de Portugal, sobre os terrenos e sobre as suas expectativas para o restante do campeonato. Lembrando: Loeb ganhou as três primeiras provas. Confira a entrevista na integra:

Após um ano de ausência, o Rali de Portugal regressa ao Mundial. O que pensa desta prova?

“É um ótimo rali, que merece um lugar no Campeonato do Mundo de Ralis. O público esta sempre presente e em grande número. É um público que tem conhecimento sobre ralis. Somos sempre muito bem acolhidos e é agradável sentir que o rali é importante para as pessoas e que o regresso da prova é o maior acontecimento no país. As especiais são muito bonitas e habitualmente o tempo está sempre ótimo. Em suma, estão reunidas todas as condições para que passemos um belo final de semana! Aprecio bastante o percurso variado com diferentes tipos de pisos e de perfis.”

Este primeiro rali 100% em terra irá dar a tónica para o resto do campeonato?

“Sabemos que uma equipe forte, com um automóvel eficaz em Portugal, será também competitiva em outros terrenos como a Argentina, Sardenha ou Grécia. Após três ralis muito específicos, Portugal é o primeiro rali
que se aproxima dos padrões do Mundial de Ralis em termos de configuração. Graças ao nível de desenvolvimento atingido pelo C4 WRC, sabemos em que patamar nós estamos. Por exemplo, utilizamos
no Chipre a mesma base de afinação que tínhamos na Inglaterra, o que quer dizer que o nosso carro está á vontade em qualquer terreno.”

Ganhou as três primeiras provas do ano, algo que nunca tinha acontecido… Pensa em vencer as 12 provas da temporada?

“Sei que somos capazes de ganhar qualquer rali. Tanto que já ganhamos em todos os lugares, por isso não é impossível. Mas ganhar 12 ralis consecutivos é bem mais complicado. No ano passado ganhamos onze vezes em quinze ralis. Desfrutamos do atual momento, mas não penso nesse tipo de conquista, pois abordo cada rali independentemente dos restantes, com os campeonatos de pilotos e marcas como objetivo final.”

Confira a classificação depois das três primeiras etapas.

1. France S. LOEB 30
2. Finland M. HIRVONEN 22
3. Spain D. SORDO 17
4. Norway H. SOLBERG 10
5. Norway P. SOLBERG 9
6. Great Britain M. WILSON 8
7. Finland J-M LATVALA 6
8. Australia C. ATKINSON 4
9. France S. OGIER 3
10. Zimbabwe C. RAUTENBACH 3
11. Argentina F. VILLAGRA 2
12. UAE K. AL-QASSIMI 2

Abraços

Esse post foi publicado em Esporte, Esportes, Loeb, WRC e marcado . Guardar link permanente.