Especial – Michael Schumacher e a temporada 2010

Como eu havia dito, Schumacher voltou. E não pegou ninguém de surpresa, pois a mídia em geral estava sempre alimentando nossa curiosidade sobre sua ida para a Mercedes, estavam sempre dando pistas para aqueles que sabem ler entre as entrelinhas. O que resta neste momento é como será o desempenho do alemão, que irá completar 41 anos em janeiro.

Quem conhece um pouco da história da F1 sabe que muitos pilotos pararam e depois voltaram. Foi assim com Prost, Mansell, Lauda, Mario Andretti e Fangio. Porém, quando esses campeões voltaram, eles eram mais novos que Schumacher e um carro de F1 de tempos atrás não era tão extremo quanto os carros de hoje em dia. Esse foi o primeiro desafio de Schumacher: adequar o seu corpo a nova realidade que a F1 exige.

Quando ele tentou voltar depois do acidente de Massa, Schumacher sentiu que necessitaria de muito mais tempo para se recuperar do acidente que sofreu quando treinava de superbike. Seu pescoço sofreu demais e o alemão teve que abandonar temporariamente a ideia de voltar a pilotar um F1. Naquele momento de derrota o alemão decidiu que iria dar a volta por cima e voltar em grande estilo. O desafio havia sido lançado e o alemão mais um a vez venceu.

Acredito também que pesou o convite da Mercedes. A montadora literalmente pagou pela primeira vaga de Schumacher na F1. Com certeza Schumacher viu a oportunidade de retribuir o favor, pois a montadora conta com seu grande amigo e parceiro Ross Brawn, com quem Schumacher trabalhou e ganhou tudo, se tornando o mito que ele é hoje. Além disso, a equipe foi campeã deste ano e tem tudo para dar a Schumacher um carro vencedor. Depois de anos separados, finalmente a Mercedes terá Schumacher em um de seus carros novamente.

E, acima de tudo, o amor que o alemão tem pela velocidade. Todo piloto fala e Schumacher esta comprovando a teoria: parece uma droga, o cara fica viciado mesmo. Que diga Barrichello, que não quer lagar o osso e se dedica de corpo e alma ao emprego, com a mesma motivação do primeiro dia. Mesmo que ele esteja fazendo a mesma coisa durante 17 anos.

Nico Rosberg terá o papel que já foi de Barrichello. Vai ter que comer o pão que o diabo amaçou para ter o seu espaço na equipe. Senão, vai ser ofuscado pelo brilho de Schumacher, que fechou um contrato de 3 anos. Será que Nico aguenta?

Felipe Massa terá uma dura missão: derrotar Alonso e os outros

E 2010 promete nova disputa entre Schumacher e o bi campeão e melhor piloto da atualidade, Fernando Alonso. A Ferrari esta motivadíssima e estão prometendo um carro forte, muito competitivo e Alonso quer vencer novamente. Massa terá que rebolar se quiser participar da dança.

Quem deve dar as caras nessa batalha é a McLaren, que conta com a fortíssima dupla: Button e Hamilton. Vai haver um arranca rabo danado dentro da equipe inglesa por conta dos seus dois pilotos e a já não irão contar com o que há de melhor da Mercedes em termos de motor. Mesmo assim, a equipe goza de uma excelente estrutura e com certeza vai estar na briga.

Button terá totais condições de defender seu título?

Uma dúvida que eu tenho é em relação à Red Bull. A equipe não conta com a mesma estrutura da McLaren e Ferrari, mas conta com o mágico Adrian Newey no comando do projeto e tem Vettel, piloto acima da média, mas que apresentou altos e baixo durante todo o ano de 2009.

Não podemos esquecer da dura missão que Barrichello terá em 2010: erguer a Williams. Depois do rompimento da parceria com a BMW, a equipe de Frank Williams luta contra as dificuldades financeiras e vem saindo do buraco ano após ano. A equipe tem gente capacitada e farão um projeto de acordo com o que Barrichello pedir, o que é um bom sinal. Todos sabem do talento do brasileiro quando o assunto é acerto. Além disso, eles contarão com a Cosworth, lendária preparadora e construtora de motores. Dizem que o motor esta em pé de igualdade com a Mercedes e Ferrari em termos de potência, mas tem o péssimo hábito de beber demais. É uma questão fundamental, pois não teremos mais reabastecimento durante a prova e o tamanho do tanque de combustível influencia diretamente no desempenho dinâmico do carro.

A Williams deve manter seu crescimento mas não fará milagres

Para fechar o post, teremos mais quatro equipes novas e mais dois pilotos brasileiros. Senna e Di Grassi terão papeis semelhantes em equipes diferentes. Não terão grandes pretensões e nem muita cobrança, pois todo mundo é marinheiro de primeira viagem, inclusive as equipes. Mas sempre é bom mostrar algum  serviço. E ainda teremos o arisco Kobayashi, que foi contratado pela Sauber.

Kobayashi poderá surpreender, pois a equipe conta com um carro que começou a ser desenvolvido pela BMW. Talvez apronte algumas durante o ano.

A temporada promete, dando aquele gostinho de começa logo. Haja coração.

Que comece logo a temporada!

Abraços

Anúncios
Esse post foi publicado em Alonso, Barrichello, Brawn, Button, Curiosidades, Di Grassi, Esportes, Ferrari, formula um, Hamilton, Massa, McLaren, Mercedes, Notícias, Notcias, Pessoal, Red Bull, Rosberg, Schumacher, Senna, Vettel, Williams e marcado , . Guardar link permanente.

2 respostas para Especial – Michael Schumacher e a temporada 2010

  1. Pingback: Especial-Michael-Schumacher-e-a-temporada-2010 : Sysmaya

  2. Pipe disse:

    Que venha logo essa primeira corrida… também estou na expectativa.

    Curtir

Os comentários estão encerrados.