Equipes que não fizeram Sucesso: Life Racing Egines – 3ª Parte

No final da segunda parte da história sobre a pior das piores equipes da Fórmula Um, vimos que o dono da equipe, Ernesto Vita, estava à procura de alguém para ocupar o lugar deixado por Gary Brabham, que havia abandonado a equipe. Para quem não sabe ou ainda não leu nenhuma das duas partes já publicadas, Gary saiu da Life depois de tentar largar nas duas primeiras etapas da temporada, e o carro só havia dado uma volta.

Por incrível que pareça, Vita conseguiu um acerto com Bruno Giacomelli (ou Jack O’Malley, se preferir), que havia corrido pela última vez num carro de Fórmula Um em 1983. Porém, Giacomelli havia realizado um teste com a Leyton House em 1990. Alguns “historiadores” contam que Giacomelli estava mesmo era querendo diversão na sua vida de aposentado, por isso que topou a terrível situação.

Dessa forma, Giacomelli faria sua estréia pela Life em casa, no GP de San Marino, que era a 3ª etapa daquele mundial. E nem é preciso dizer que as coisas não seriam melhores com a chegada do italiano.

E não é que temos fotos!


Será que Giacomelli se divertiu?

Bruno deu apenas uma volta, a de aquecimento e verificação. Quando era pra valer, mais uma vez o carro quebrou e Giacomelli não voltou mais para a pista. Era o fim de participação da Life no GP de San Marino.

Após a sua “grande” participação no GP de San Marino, a equipe estava bastante animada com a melhor oportunidade que eles teriam no ano para mostrar algo. O GP de Mônaco era considerado a melhor oportunidade de uma equipe medíocre apresentar algum desempenho e a Life agarrou a oportunidade, apresentando-se muito bem no chiquérrimo Principado. Muito bem em se tratando da Life, diga-se de passagem.

Por mais incrível que pareça, Bruno conseguiu dar 10 voltas (!) pelo circuito. Durante o treino da pré-qualificação, Giacomelli se mostrava cada vez mais a vontade com a sua aberração e, volta após volta, ele conseguia ser cada vez mais rápido. Antes de ir para o box e ser ovacionado pela meia duzia de mecânicos da equipe, Bruno Giacomelli conseguiu a marca de 1’41.187. Faltando 20 minutos para o fim do treino, eles colocam os pneus de qualificação no carro e Giacomelli volta para a pista. Era um momento de grande empolgação para equipe e Giacomelli volta com  tudo que podia dar na barata.

A lenda:  Life deu 10 voltas em Mônaco

E lá foi Giacomelli com a Life, marcando um tempo de 1’47.501 na sua primeira passagem. Na volta seguinte, o motor da Life não aguentou tanta emoção e acaba quebrando na parte da piscina. Era o fim da participação da Life em Mônaco. Até eu fiquei triste!

Pela foto, parece que Bruno Giacomelli esta pedindo socorro pelo celular!

É bem verdade que o terrível W12 estava fumegando desde que havia sido acionado, mas ele demorou a quebrar. E isso foi até bom, porque assim podemos fazer uma melhor comparação com os outros carros, além de ter mais fotos deste raro acontecimento.

Só para efeito de comparação, Ayrton Senna fez a pole com o tempo de 1’21.314, equanto que a melhor volta de Bruno foi em 1′41.187, ou seja, quase 20 segundos mais lento que o brasileiro. Para não pegar tão pesado assim, vamos fazer uma comparação com Bertrand Gachot, que ficou em penúltimo com a igualmente horrorosa Coloni, marcando o tempo de 1’33.554. Fazendo os cálculos, o carro da Coloni era 7 segundos menos lento que a Life. E em Mônaco!

Giacomelli em ação durante os treinos para o GP de Mônaco.

Depois do grande Prêmio de Mônaco a F1 desembarcou no Canadá. E no circuito de Montreal as coisas voltaram ao normal para a Life. Depois de algumas voltas, Giacomelli foi 30 segundos mais lento que Senna, que marcou a pole. Tá bom, eu paro de comparar a Life com a super McLaren. Giacomelli foi 3 segundos mais lento que Claudio Langes, que também tentava andar com a terrível Euro Brun.

A equipe preparando o carro no box de Montreal.

Giacomelli voltando com o carro para o box, em Montreal.

No GP do México, mais uma vez a Life deu vexame e Giacomelli deu um giro de 3 minutos mais lento que todo os outros carros. Com certeza, eles nem passaram da volta de aquecimento, não só por causa o alto tempo registrado, mas porque eu não achei fotos sobre a aparição da Life no México.

Infelizmente, terei que parar por aqui. Falta tempo para escrever o restante da história. Fora isso, terei que fazer a estréia da nossa nova seção “Inferno Verde” em um outro dia.

Peço perdão amigos. E tenham um bom final de semana.

Anúncios
Esse post foi publicado em Bruno Giacomelli, Canadá, Curiosidades, Equipes que não fizeram sucesso, Esporte, Esportes, formula um, Giacomelli, História, Itália, Life F1, México, Mônaco, Pessoal, Retrô, Seção Retrô e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Equipes que não fizeram Sucesso: Life Racing Egines – 3ª Parte

  1. Pipe disse:

    Pô, pensei que ia acabar a disgraçeira e ainda tem mais? Fiquei com pena do cara também. Voltou pra tentar se divertir e não conseguia nem completar 10 voltas direito. E esse carro é muito feiro de frente cara, parece um inseto, aquele besouro que transmite a doença de chagas, barbeiro, e o nome combina hein, rsrs.
    No aguardo do final derradeiro dessa equipe.
    Abraço.

    Curtir

Os comentários estão encerrados.