Valentino Rossi e seu amor pela M1

Eu nem ia comentar o fato pois já era dada como certa a ida de Valentino Rossi para a Ducati e todo mundo também sabia que o anúncio aconteceria neste domingo. Mas como se trata de uma pessoa especial, no sentido de ser como pessoa mesmo, Rossi fez muito mais do que um anúncio oficial, que seria praxe nesse tipo de ocasião.

Valentino entregou uma carta, em italiano e escrita em punho, para os jornalistas, oficializando a sua ida para a tradicional marca italiana de motos. A carta, que esta devidademente traduzida logo abaixo, conta um pouco da sua história durante esses anos com a Yamaha e, acima de tudo, fala do seu amor pela máquina japonesa.

Da forma que Valentino fez sua despedida foi muito mais bonita, mais inteligente, mais Valentino Rossi.

Segue a grandiosa carta: É muito difícil explicar em apenas algumas palavras o que minha relação com a Yamaha foi nos últimos anos. Muitas coisas mudaram desde que entrei no time, em 2004, mas especialmente “ela”, minha M1, mudou.

Àquela época ela era uma moto de meio de grid, desprezada por grande parte dos pilotos da MotoGP. Agora, após ajudá-la a melhorar, vocês podem vê-la sorrindo na garagem, cortejada e admirada, tratada como “a melhor da categoria.”

A lista de pessoas que permitiu que essa transformação fosse possível é longa, mas gostaria de agradecer a Masao Furusawa, Masahiko Nakajima e Hiroya Atsumi, como representantes de todos os engenheiros com quem trabalhei e tomaram conta dela com amor.

Agora chegou o momento de procurar novos desafios, meu trabalho na Yamaha acabou. Infelizmente, até as mais bonitas histórias de amor terminam, mas deixam memórias maravilhosas, como quando eu e minha M1 nos beijamos pela primeira vez na grama de Welkom, quando ela olhou direto para os meus olhos e me disse “eu te amo”.

Valentino Rossi

Fonte: Tázio

Abraços

Esse post foi publicado em Ducati, Moto GP, MotoGP, Rapidinha, Rapidinhas, Rossi, Yamaha e marcado , . Guardar link permanente.