Post Especial: Martini Racing Team – 1ª parte

Quem acompanha o blog diariamente sabe que eu tenho deixado a desejar em certos quesitos que antes eram fundamentais nesse nosso pequeno espaço. Estou falando justamente daquelas histórias compridas, mas cheias de detalhes, que às vezes teimam em sumir da memória dos amantes do esporte motorizado.  São histórias que me custam horas e horas de pesquisa, pois estão fragmentadas pela rede. Eu  vou juntando, pedaço por pedaço, até que me dou por satisfeito e coloco um “resumão” aqui para vocês. E uma dessas ricas histórias que eu venho montando aos poucos, durante muito tempo, é justamente essa que encabeça o título do nosso post especial.

O primeiro carro a estampar a marca foi um Delage D8 durante a Tour de France, na década de 30, mas a própria Martini reconhece que seu programa de patrocínio começou em 1968, quando um representante alemão resolveu patrocinar um pequeno evento em Hockenheim. Depois disso, em 1969, a marca começou a aparecer com mais força, tendo suas cores exposta nos belos Porsches 907 8 908. Não era ainda a equipe em si, mas contava com o apoio da montadora alemã. Embora não tenha alcançado resultados relevantes, a melhor colocação havia sido um terceiro lugar com um Porsche 907 nos 1000kms de Monza, a marca passou a ser reconhecida pelo público como uma das principais incentivadoras do esporte a motor em geral. E só isso já valia à pena ter investido tanta grana. Fora os Porsches, a marca também já era vista em várias competições, passando por barcos, motos e aviões.  Tanto que no final daquele ano é criada a Martini Racing Team, com sede em Londres.

A Martini era a Red Bull do século passado, patrocinava desde F1 à corrida lanchas e aviões

O primeiro carro que teve a  marca estampada: Delage D8

Em 1970 os resultados mais importantes foram o segundo e terceiro lugares com os Porsches 907 e 908 nas 24 Horas de Le Mans; segundo e terceiro em Kyalami com 917 e 908, respectivamente e primeiro em Montlhléry – Coupe du Salon.

Já em 71 eles chegaram ao ápice da parceria e a Martini Racing Team passou a ser o time oficial da Porsche no WCS . Venceram as 24 Horas de Sebring e as 24 Horas de Le Mans, além de conquistarem o primeiro e terceiro lugares nos 1000kms de Nürburgring. Os pilotos eram Vic Elford e Gerard Larrousse e a Porsche ganhou o campeonato de construtores daquele ano.

O 908 em Nürburgring em 1971

O famoso e bonito 917 Psicodélico

1971 – O time em Le Mans com o 917

O 917 em ação durante as 24 Horas de Le Mans

Porém, em 1972 a Porsche não participou do campeonato daquele ano e a Martini Racing não conseguiu atingir nenhum resultado significativo nas provas de Endurance.  Porém, foi nessa época que a Martini começou a ser vista na principal categoria do automobilismo. Durante os anos de 72 e 73, a Martini apenas patrocinava a pequena e fraca equipe italiana Tecno.

Ao lado o fraquinho carro da Tecno.

Ainda em 73, a Martini volta a ter o apoio da Porsche, que havia feito o incrível 911 Carrera RS. Logo de cara, eles vencem a Targa Florio.

Em 74 o sucesso continua a acompanhar a equipe. Ficam em terceiro nos 1000kms de SPA; segundo nas 24 Horas de Le Mans; segundo nas 6 horas de Watkins Glen;  primeiro em Kassel-Caden, Nürburgring, Casale e Hockenheim ; segundo em Nürburgring novamente e segundo em Silverstone. Os resultados não foram tão expressivos em 75, embora seja um ano de transição entre os modelos da Porsche. Com um Porsche 908/36 ficaram terceiro nos 1000kms de Mugello e Nürburgring. Fora isso, a Martini volta a patrocinar uma equipe de F1. Desta fez, a marca italiana passa a enfeitar os (lindos pirâmides) carros da Brabham, que nesse momento já pertencia a Bernie Ecclestone. A parceria com a Brabham duraria até 1977.

O 911 Carrera RS em Le Mans

Em ação no tradicional Nürburgring em 1974

Enquanto isso, a Martini colhia os louros da glória junto com a Porsche. Em 76 eles venceriam com o Porsche 935 as 6 Horas de Mugello, 6 Horas de Vallelunga, 6 Horas de Watkins, 1000kms de Dijon e as 24 Horas de Le Mans. Como se não bastasse, com o Porsche 936 no Campeonato Mundial de Sports, ficaram em primeiro nas 4 Horas de Monza, 500kms de Imola, 500kms de Pergusa, 500kms de Dijon e 240kms de Salsbourg.

Em 1977 as coisas não foram muito diferentes, ou seja, era taça que não acabava mais. Vitórias com o Porsche 935 nas 6 Horas de Mugello, 6 Horas de Silverstone, 6 Horas de Watkins Glen, 6 Horas de Brands Hatch e 6 Horas de Hockenheim. Vitória nas 24 Horas de Le Mans com o 936. No Campeonato Alemão ficou em primeiro com um Porsche 935 baby e nas 200 Milhas de Nuremberg ficou em segundo com um 935.

O brasileiro Jose Carlos Pace seguido pela Lotus de Ronnie Peterson durante o GP da Espanha de 1975


O 936 em Le Mans

O 935 e 936

Ufa! Perdi o fôlego.

Se vocês acham que já é o bastante para eles entrarem para a história do automobilismo, esperem até ver o que eles fizeram nos mundiais de rali.

Abraços

Anúncios
Esse post foi publicado em Brabham, Curiosidades, Esporte, Esportes, formula um, Martini, Pessoal, Porsche e marcado , . Guardar link permanente.

5 respostas para Post Especial: Martini Racing Team – 1ª parte

  1. Fabiani C Gargioni #26 disse:

    Jóia,estas imagens e tbém quero aproveitar p/ te convidar pra acessar os blogs POEIRA NA VEIA e TCC-Turismo Clássico Catarinense,valeu!!!

    Curtir

  2. Gustavo Oliveira disse:

    Muito bom!

    Curtir

  3. Muito bom post, parabéns!! E boa comparação com a Red Bull de hoje em dia.

    Quero lhe convidar para acessar o meu blog, sobre automobilismo. Abraço cara!

    Curtir

Os comentários estão encerrados.