Debandada no WRC

Antes mesmo de eu escrever sobre a saída da Mini, fui pego de surpresa pelo abandono da Ford. As duas marcas deram praticamente a mesma explicação: a crise econômica. É uma dura pancada no campeonato, justamente no momento em que ele começa a chamar a atenção de outras montadoras pelo baixo orçamento para manter uma equipe.

Infelizmente, para o automobilismo, a coisa não esta nada boa. E é um problema mundial.

A Mini

A Mini vai completar o campeonato deste ano para homologar seu modelo para que equipes particulares possam adquirir os modelos anglo-alemães e participarem do certame 2013. O desenvolvimento do modelo ficará a cargo da competente Prodrive enquanto a BMW Motorsport vai continuar a desenvolver o motor 1.6 turbo e a fornecer peças.

Na sequência do comunicado da Mini Motorsport, a Prodrive anunciou que pretende participar de todas as etapas do campeonato de 2013 e fornecer o apoio necessário para as equipes que pretendam utilizar os Mini John Cooper Works WRC e S2000 1.6 turbo. A Prodrive confirmou também que vai prosseguir com o desenvolvimento do motor em conjunto com o construtor. Assim sendo, as vendas, suporte e desenvolvimento do John Cooper Works WRC e S2000 1.6 turbo mantém-se até 2018, data em que o veículo perde a homologação.  Inclusive, a Prodrive estará presente  no Rali da Sardenha com dois carros, para Dani Sordo e Jarkko Nikara.

A Ford

Depois de 17 anos de participações ininterruptas(!), a Ford anunciou hoje que vai encerrar sua passagem histórica pelo WRC. Detentora de três títulos mundiais de Construtores, em 1979, 2006 e 2007, além de 82 vitórias, a marca contou com pilotos de referência como Juha Kankkunen, Colin Mcrae, Carlos Sainz, Mikko Hirvonen, Jari-Matti Latvala e Petter Solberg. Sem dúvidas, uma perda gigantesca e acredito que deve ter sido uma decisão muito triste, pois não se joga uma história assim no lixo.

É bem verdade que a Ford já demonstrava, há anos, que não teria mais condições de continuar no campeonato. Não sei bem como, acho que foi meio que um milagre, a gigante americana não abandonou o WRC durante a crise que arrasou a Ford em 2008 – 2009. Mas enfim…

Talvez da mesma forma que a Mini, a Ford seguirá com seus Fiestas WRC na categoria. A princípio, a montadora seguirá como colaboradora da M-Sport, que seguiria em 2013 recebendo o suporte da Ford.

“Gostaria de agradecer à Ford da Europa pelo seu grande apoio e por ter acreditado na equipe nos últimos 16 anos. Entendemos que decisões difíceis tiveram de ser tomadas para assegurar empregos na Ford, nós aceitamos a realidade comercial e estamos ansiosos para continuar a nossa forte parceria técnica para o futuro. A M-Sport está extremamente orgulhosa de nossa história com a Ford desde 1997: 208 pódios, marcando pontos 156 vezes consecutivas e 52 vitórias em 225 largadas no WRC, além dos dois títulos mundiais sublinham a dedicação e o comprometimento com toda a equipe em Cumbria”, afirmou o chefe da M-Sport.

De acordo com o site Grande Prêmio, os atuais pilotos  Petter Solberg e Jari-Matt Latvala, ficam liberados para procurar nova equipe depois do Rali da Catalunha, última etapa do Mundial de 2012, em novembro. Petter é cotado para substituir Sébastien Loeb na Citroën, enquanto o finlandês pode ser o segundo piloto da Volkswagen, formando uma forte dupla de pilotos com Sébastien Ogier, que já testa o novo Polo R WRC.

Anúncios
Esse post foi publicado em Esporte, Esportes, Fiesta, Ford, Ford Fiesta S2000, Mini, Notícias, Pessoal, Rally, Rapidinha, Rapidinhas, Volks, Volkswagewn, VW, WRC. Bookmark o link permanente.